quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Imitação é elogio?

             
           Quem nunca se deparou com a imitação? Alguém que tenha imitado sua forma de vestir, seu corte de cabelo, seus hábitos sociais, sua decoração, sua forma de trabalhar. Eu já! Não só fui muito imitada como também já imitei muito! Ora, para que possamos fazer qualquer escolha na vida precisamos ter um leque de opções dentro do qual optaremos pela mais favorável em nosso ponto de vista. Por exemplo, a escolha da profissão. Faremos uma análise de todas as pessoas que conhecemos e seus respectivos trabalhos. Essa pessoa é bem sucedida, é bem remunerada, é estressada, qual é sua função, pode viajar? Se eu gostei das respostas, por que não imitar? Claro que não é tão simples assim e existem muitas variáveis, mas praticamente todas as escolhas que fazemos têm origem na imitação. Quanto à imagem: "Nossa, ele parece tão sério de camisa social, acho que vou passar a me vestir assim no trabalho" ou "Que esmalte lindo! Vou pintar igual!". Na verdade, já me preocupei muito com esse tipo de coisa, no egoísmo de querer ser original. Hoje percebo que a imitação não é só normal como é também uma forma de admiração e consequente elogio. Claro que precisamos ressaltar um outro aspecto da imitação, o sério problema das cópias e violação ao direito de autor, que nada têm de positivas e que não deve ocorrer! No entanto, imitar atitudes do bem não tem mal nenhum, e no fim das contas é até uma forma de melhorarmos o mundo! Imagine se todas as pessoas imitassem quem recicla, quem não maltrata os animais, quem é educado no trânsito, quem faz trabalhos sociais, quem é amoroso, honesto, quem não joga papel na rua (que infelizmente ainda vejo todos os dias!)! Não seria ótimo?!

       Portanto, ao imitar, imite as boas atitudes e  lembre-se de agregar algo seu,  aperfeiçoando a ideia original. Se for imitado, não se preocupe, algo certo você está fazendo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário